Teresinense trabalhou mais de 90h para pagar cesta básica em junho imprimir publicado em: 06 / 07 / 2017

cestaO Teresinense investiu pelo menos R$ 389,39 na compra de itens de alimentação básicos durante o mês de junho, é o que afirma o levantamento sobre a variação da cesta básica divulgado nesta quinta-feira (06) pelo Dieese. Isso significa que 45,17% do salário mínimo foi destinado para alimentação. Para poder pagar a cesta básica, o teresinense teve ainda que trabalhar 91h56min nos últimos 30 dias.

De acordo com a publicação do Dieese, apesar de ainda ser considerado alto, o valor da cesta básica na Capital piauiense teve uma redução de 2,01% em comparação com o mês de maio, quando o teresinense teve que desembolsar R$ 397,38 para comprar itens alimentícios básicos. No acumulado do ano, a cesta básica em Teresina teve uma variação de 2,75%.

Dentre os produtos que registraram aumento de preço em junho estão o leite (variação de 0,45%), o feijão (variação de 26,69%) e o pão (variação de 1,05%). Já entre os gêneros alimentícios que tiveram redução no último mês estão o arroz (- 3.16%), a farinha (- 1,14%), o tomate (-17,25%), o café (- 0,15%), a banana (- 3,49%), o açúcar (-3,17%), o óleo (- 1,26%) e a manteiga (- 1,33%). Teresina foi a capital brasileira que mais diminui o preço da manteiga em junho. Já com relação à carne bovina, seu preço não teve alteração na Capital piauiense no último mês, embora tenha diminuído em 24 cidades.

O cálculo

Com base na cesta mais cara, que, em junho, foi a de Porto Alegre, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o DIEESE estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário

Em junho de 2017, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.727,19, ou 3,98 vezes o mínimo de R$ 937,00. Em maio de 2017, o piso mínimo necessário correspondeu a R$ 3.869,92, ou 4,13 vezes o mínimo vigente. Em junho de 2016, o salário mínimo necessário foi de R$ 3.940,24, ou 4,48 vezes o piso em vigor, que equivalia a R$ 880,00.

portalodia.com


PDF pagePrint page

PARTICIPE

PUBLICIDADE

    Esporte

REDE SOCIAl

PUBLICIDADE

    Physio II

últimas